Desporto

The Best: Ronaldo foi rei e senhor em 2017. Eis os motivos

Avançado português voltou a vencer o prémio atribuído pela FIFA.

Os grandes jogadores ambicionam sempre os grandes troféus. Cristiano Ronaldo recebeu, na noite de segunda-feira, mais um prémio para juntar à vasta coleção pessoal. O craque português foi galardoado pela FIFA como o melhor jogador do ano na Gala The Best 2017, superando os rivais Leo Messi e Neymar.

A concorrência era feroz, mas ainda assim as previsões apontavam para uma vitória do avançado do Real Madrid. Porquê? Pois bem, no futebol o que conta são os títulos e Cristiano Ronaldo não fez por menos.

Em jeito de resumo, Ronaldo, no ano de 2017, conquistou a La Liga, a Liga dos Campeões e o Mundial de Clubes. Mas vamos por partes.

No campeonato espanhol, o craque português voltou a ser decisivo, apontado 25 golos, sendo que em muitos jogos foi poupado por Zinédine Zidane. Relativamente à Champions, Ronaldo foi mesmo um dos principais responsáveis pela revalidação do título do Real Madrid, um feito que nenhuma equipa conseguia atingir há 26 anos. O craque português marcou 12 golos, sendo que dois dos tentos foram apontados na grande final em Cardiff frente à Juventus.

No Mundial de Clubes, outra das provas arrecadadas pela formação merengue, o avançado português participou em dois jogos e contabilizou quatro golos, sendo novamente decisivo na final da competição.

E agora, o que se segue?

Após nova conquista, o pensamento de Cristiano Ronaldo deverá estar apenas focado na Bola de Ouro, o troféu atribuído pela revista France Football. Se em prémios The Best, o capitão da seleção nacional conta com dois e o ‘rival’ Messi com zero, na Bola de Ouro as coisas estão diferentes. Neste momento, e numa altura em que faltam poucas semanas para a cerimónia da publicação francesa, Ronaldo contabiliza quatro Bolas de Ouro ao passo que Messi soma cinco. Empate à vista? Só o tempo o dirá.

[Notícia corrigida às 13h01.]

[NAM, POR FRANCISCO AMARAL SANTOS]

Deixe uma resposta