Desporto

Primeira parte de loucos ditou desaire do FC Porto. Leipzig faz história

Dragões saíram derrotados da Alemanha e averbam a segunda derrota no Grupo G. O Leipzig conquistou a primeira vitória sua história na Europa.

Resumo: Golos, golos e mais golos. Foi tudo o que não faltou na Red Bull Arena, esta terça-feira, num jogo que o Leipzig levou a melhor sobre o FC Porto. Os alemães venceram por 3-2, uma partida relativa à 3.ª jornada do Grupo G da Liga dos Campeões, e conquistaram primeira vitória europeia da sua história.

Sérgio Conceição disse que não era pago para fazer surpresas, mas a verdade é que começou logo com uma. Iker Casillas ficou no banco de suplentes, dando a titularidade a José Sá. De resto, o FC Porto alinhou na estratégia que tem sido habitual: um 4x3x3, com Aboubakar na linha da frente.

A primeira parte foi frenética e digamos que… nada fácil para o FC Porto. Aos oito minutos já perdia. Orban marcou o primeiro golo da formação alemã, numa altura em que os dragões estavam com dificuldade em sair para o ataque. José Sá não agarrou uma bola à primeira e permitiu a recarga do jogador da equipa germânica.

O Leipzig ia controlando e os dragões sentiram o peso deste primeiro golo mas… o suspeito do costume apareceu e logo quando a equipa mais precisava dele.

Aboubakar, aos 18 minutos, fez o empate. Contudo, apesar da esperança azul e branca, o Leipzig estava decidido a vencer a partida. Os vice-campeões alemães acabaram por controlar o rumo do jogo e os golos apareceram novamente.

O mérito do Leipzig estava lá, mas a verdade é que vários erros individuais saíram caro à equipa de Sérgio Conceição. Aos 38’ e aos 41’, Forsberg e Augustin, respetivamente, aumentaram a vantagem dos germânicos. Estava feito o 3-1 e o árbitro preparava-se para apitar para o fim da primeira parte.

No entanto, Marcano, que contou com algumas culpas no terceiro golo do Leipzig, não quis deixar o FC Porto a ir com uma desvantagem de dois golos para o intervalo. Na sequência de um canto do lado direito, cobrado por Alex Telles, o central espanhol recebeu o toque de cabeça de Herrera e, num movimento pouco ortodoxo, fez o 3-2.

Depois do intervalo, o frenesim de golos acalmou (e de que maneira)

Se no primeiro tempo foram marcados cinco golos, na 2.ª parte as redes nem balançaram. O ritmo imprimido nos segundos 45 minutos baixou e os lances de perigo escassearam. O FC Porto era a equipa que tinha de ir atrás do prejuízo, mas apesar disso, foi o Leipzig quem ficou perto do aumentar a vantagem.

O português Bruma ficou perto do 4-2. A bola rematada pelo extremo do Leipzig preparava-se para ultrapassar a linha de golo, mas Marcano, com um corte providencial, evitou males maiores, mantendo assim a esperança azul e branca.

Uma esperança que se manteve até final, mas que não passou disso mesmo: uma esperança. No segundo tempo, o FC Porto nunca conseguiu chegar com perigo à baliza do Leipzig e o 3-2 acabou por ser o resultado final. A equipa alemã fez assim história e conquistou a sua primeira vitória em competições europeias. O Leipzig, agora segundo, soma agora 4 pontos no Grupo G, ultrapassando assim os dragões, que descem ao terceiro posto, com três pontos O Besiktas lidera o grupo com 9 pontos.

Momento do jogo: Os dois golos sofridos em poucos minutos ditaram esta derrota do FC Porto. As desatenções defensivas saíram caro à equipa de Sérgio Conceição.

Onze do FC Porto: José Sá; Layún, Felipe, Marcano, Alex Telles, Danilo, Sérgio Oliveira, Herrera, Brahimi, Marega, Aboubakar.

Suplentes: Casillas, Hernâni, Óliver, Corona, Ricardo Pereira, Reyes e Otávio.

Onze do Leipzig: Péter Gulácsi, Willi Orban, Dayot Upamecano, Marcel, Sabitzer, Naby Keïta, Emil Forsberg, Lukas Klostermann, Bruma, Marcel Halstenberg, Jean-Kévin Augustin e Kevin Kampl.

[NAM, POR RUBEN VALENTE]

Deixe uma resposta