Desporto

Voo congelado obriga Benfica a fazer o que ainda não foi feito

Benfica esteve a vencer, mas deixou-se dar a volta por um CSKA que trouxe a muralha para a Luz. Foi a quarta vez que as águias entraram a perder na Liga dos Campeões. Nas outras três, o desfecho foi indesejado.

Ao sétimo jogo, eis que surge a primeira derrota do Benfica na temporada 2017/18. Naquele que era, pelo menos na teoria, um dos testes mais acessíveis do seu calendário europeu, os encarnados chumbaram e perderam por 1-2 na receção ao CSKA Moscovo.

A equipa de Rui Vitória até entrou a ganhar, fruto de um golo do inevitável Haris Seferovic, mas não foi capaz de segurar a vantagem, entrando da pior maneira possível na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Russos ergueram muralha na Luz

Com três centrais e uma equipa muito compacta, o CSKA Moscovo mostrou-se mais preocupado em defender do que em atacar e fechou todos os espaços possíveis e imaginários à equipa do Benfica durante a primeira parte.

No entanto, a falta de golos da primeira parte não se resume apenas a esta muralha russa. Sem imaginação nem dinâmica, a equipa da casa ia trocando a bola, mas, ao ver que não conseguia penetrar, arriscava o remate de longe.

É verdade que o Benfica terminou a primeira parte com uns impressionantes dez remates, mas grande parte deles foram de longe, e, com exceção do de Grimaldo, que acertou em cheio no posrte, nenhum deles criou real perigo.

15 minutos ‘à Benfica’ não chegaram

O Benfica entrou visivelmente revigorado no segundo tempo. Mais dinâmico, a conseguir colocar mais homens na grande área, foi-se aproximando à baliza de Akinfeev e foi sempre grande surpresa que, aos 50 minutos chegou ao golo, por Seferovic, que assinou, assim, o seu quinto golo da época.

Os encarnados embalaram, então, em busca do segundo, mas as ‘pilhas’ esgotaram à passagem da hora de jogo. Inexplicavelmente, numa sucessão de erros defensivos, as águias foram permitindo, aos russos, que se chegassem à frente.

Aos 61 minutos, Wernbloom, com um pontapé acrobático, quase marcou. Aos 62, Vitinho marcou mesmo, na conversão de uma grande penalidade assinalada a mão de André Almeida, lance muito contestado por parte do Benfica. Mas o desastre não se ficou por aqui.

Aos 71 minutos, Zhamaletdinov, que tinha acabado de entrar, aproveitou novo erro defensivo para concretizar a cambalhota no marcador, resultado com que o encontro haveria de acabar.

Entrada para esquecer do Benfica do Liga dos Campeões, que traz ao de cima uma indesejada estatística. Esta foi a quarta vez que o clube da Luz entrou a perder na prova milionária. Das últimas três, acabou sempre… eliminado.

 

Benfica vs CSKA
64% Posse de bola 36%
25% Ataque perigoso 14%
40% Ataque 34%
35% Bola segura 52%
19 Tentativas de golo 10
6 Remates à baliza 7
13 Remates fora 3
3 Cantos 4
17 Livres diretos 6
0 Foras de jogo 3
2/0 Cartões amarelos/vermelhos 3/0
6 Faltas 14

Deixe uma resposta