Consulados Política

Candidatos portugueses falham eleição nas autárquicas no País de Gales

Os dois portugueses candidatos a vereadores na cidade galesa de Wrexham falharam a eleição nas autárquicas do País de Gales, segundo resultados oficiais declarados hoje.

Iolanda Banu Viegas, candidata pelo partido nacionalista galês Plaid Cymru na freguesia [ward] de Whitegate, arrecadou 138 dos 515 boletins aceites, equivalente a 27% do total.

Porém, a conselheira das Comunidades Portuguesas e ativista antirracismo no País de Gales, perdeu para Brian Cameron, candidato pelo partido Trabalhista, reeleito com 377 votos (73%).

Na freguesia de freguesia de Queensway, onde concorreu como independente, Jorge Vieira Szabo recolheu apenas 15 votos, correspondentes a 4% do total de 419 boletins considerados válidos.

O lugar em disputa acabou por ser conquistado pela candidata do Plaid Cymru Carrie Harper, com 225 votos (54%), que superou o trabalhista Colin Powell (43%).

Nacionais de Estados-membros da União Europeia podem ser candidatos nas eleições locais britânicas.

Estima-se que residam em Wrexham cerca de dois mil portugueses.

O partido Trabalhista foi o principal derrotado na cidade, onde perdeu 11 dos cargos na autarquia local, retendo apenas 12 face a 2012, enquanto os Liberais Democratas perderam dois lugares.

Os principais beneficiários foram os candidatos independentes, que elegeram mais sete vereadores, seguidos pelo partido Conservador (+4) e Plaid Cymru (+2).

Este cenário está de acordo com a tendência geral da região, onde foram declarados os resultados finais de 13 dos 22 municípios que foram a votos na quinta-feira.

O ‘Labour’ perdeu até agora 73 lugares, Liberais Democratas 13 e o UKIP dois lugares.

Pelo contrário, os Conservadores elegeram mais 43 vereadores, os independentes mais 37 e o Plaid Cymru mais oito.

Ao todo, foram a votos 4.851 cargos em 34 autarquias em Inglaterra, na totalidade dos 32 autarquias escocesas e na totalidade dos 22 municípios do país de Gales.

Os vereadores autárquicos são eleitos por quatro anos, mas as eleições locais no País de Gales e na Escócia foram adiadas um ano para não coincidirem com a eleição dos respetivos parlamentos autónomos.

[dn.pt]

Deixe uma resposta