Desporto

Dragão europeu já ressona, mas há 78 milhões de motivos para dormir feliz

FC Porto caiu, nesta quarta-feira, nos quartos de final da Liga dos Campeões, de onde saiu com números positivos… e muitos milhões na carteira.

Ponto final na trajetória europeia do FC Porto na temporada 2018/19. Na maior competição a nível de clubes, os dragões despediram-se após 10 jogos realizados: seis vitórias, um empate, três derrotas, 20 golos marcados e 15 sofridos.

Não há duas sem três, e pela terceira vez o FC Porto voltou a ser eliminado nos quartos de final da competição, à semelhança do que tinha ocorrido nas duas ocasiões anteriores (2009 e 2015).

E a tarefa da noite desta quarta-feira também não se avizinhava ‘pêra doce’. Pelo resultado da primeira mão, e pela história.

O FC Porto entrou no Estádio do Dragão com a missão de remontar um 0-2, trazido de Anfield Road, sabendo que em oito jogos diantes dos reds não tinha qualquer vitória – três empates, cinco derrotas, três golos marcados e 18 sofridos.

Dragão perdeu o norte após o golo de Mané

O Liverpool triunfou por 4-1, assistindo de ‘camarote’ ao jogo voraz do FC Porto nos primeiros 26 minutos. Neste tempo, os dragões deram mostras de discutir a eliminatória, pela pressão colocada no jogo, pelas oportunidades criadas, todavia o futebol é eficácia. E, de que serve ter um domínio avassalador, quando os números no marcador não reflectem isso.

Os dragões já contabilizavam 13 remates à baliza, em pouco mais de 20 minutos, para no primeiro ‘cartuxo’ Mané arrrombar a baliza de Casillas. Eliminatória fechada, e um FC Porto a reduzir gradualmente as mudanças.

O domínio do FC Porto manteve-se no arranque da etapa complementar, mas os pupilos de Klopp controlavam muito melhor as movimentações da formação lusa, pelo que à passagem da hora de jogo os azuis e brancos somavam somente dois disparos desde o intervalo, um enquadrado. O FC Porto lançava-se no ataque e deixava espaços na defesa, e foi isso mesmo que o Liverpool aproveitou aos 65 minutos, quando chegou ao 2-0. Num rápido contra-ataque, Trent Alexander-Arnold fez um passe rasgado para Salah e o extremo, perante o guardião espanhol, não desperdiçou.

A resposta azul e branca surgiu aos 68 minutos. Canto da esquerda apontado por Alex Telles e Éder Militão saltou para cabecear para o fundo da baliza. Aos 77, foi Roberto Firmino, também de cabeça, a fazer o 3-1, após excelente cruzamento de Jordan Henderson. A eliminatória já estava resolvida, e também o jogo ficou, embora não o resultado final. Aos 84 minutos, Virgil van Dijk fez o 4-1, também de cabeça, após canto da esquerda.

Contabilista azul e branco até sorri com estes números

Se o FC Porto tivesse seguido em frente, para as meias-finais da Liga dos Campeões, os dragões tinham arrecado mais 12 milhões de euros, todavia os azuis e brancos despedem-se da competição com um ‘pote de dinheiro’ bastante simpático.

O clube presidido por Pinto da Costa encaixou um total de 78,44 milhões de euros (ainda faltam somar as receitas do market pool, correspondente aos direitos televisivos) entre prémios de presença e vitórias e empates somados durante a fase de grupos. O valor que deu entrada nos cofres da SAD dos dragões representam mais do que os três grandes juntos amealharam na edição da época passada da competição (68,5 milhões).

FC PORTO Estatística LIVERPOOL
16 Remates 9
52 Posse de bola 48
6 Cantos 3
16 Faltas cometidas 13
1/0 Cartões amarelos/vermelhos 1/0

Deixe uma resposta