Desporto

O sorriso e a queda que chocou o mundo: Fehér morreu há 15 anos

O futebol português nunca mais foi o mesmo, o Benfica nunca mais foi o mesmo.

25 de janeiro de 2004, estádio D. Afonso Henriques, Guimarães. O futebol português nunca mais foi o mesmo, o Benfica nunca mais foi o mesmo! O relógio marcava já o segundo minuto de descontos, com o Benfica a vencer, por 1-0, o V. Guimarães, para o campeonato, graças ao golo de Fernando Aguiar, aos 90′. Enquanto os minhotos davam tudo para chegar ao empate, as águias tentavam segurar a vantagem.

Lançado por José António Camacho aos 59′, para o lugar de João Pereira, Miklós Fehér disputa um lance com Romeu a meio campo, mas a bola sai pela linha lateral. Com o objetivo de fazer o tempo passar, o avançado húngaro impede que o adversário faça o lançamento rápido e o árbitro da partida, Olegário Benquerença, mostra-lhe o cartão amarelo. Segue-se o momento que nunca mais saiu da memória de jogadores, treinadores, dirigentes, adeptos e amantes do futebol.

Fehér deu meia volta, sorriu pela última vez, sentiu algo e caiu inanimado. O resto da trágica história todos recordam… Seguiram-se momentos de pânico. Os médicos das duas equipas correram para o jogador e as lágrimas de Tiago, Nuno Gomes, Simão Sabrosa ou Petit faziam temer o pior. Algo de muito grave se tinha passado.

O coração traiu Fehér e os dias seguintes foram aterradores. O mundo do futebol uniu-se em torno do eterno camisola 29 benfiquista, antes das cerimónias fúnebres, em Lisboa e na Hungria. Homenagens sobre homenagens, lágrimas sobre lágrimas e uma certeza: a vida é tão curta e prega-nos tantas partidas! Foi há 15 anos…

Deixe uma resposta