Política

“Estou de consciência tranquila. Acordei um gigante adormecido”

Luís Montenegro reagiu, esta sexta-feira, à decisão do Conselho Nacional do PSD.

Luís Montenegro reagiu, esta sexta-feira, à decisão do Conselho Nacional do PSD, que renovou a confiança no atual Presidente do PSD, Rui Rio.

Uma semana depois de ter desafiado o líder do PSD a marcar eleições diretas, Luís Montenegro garantiu que está “de consciência tranquila”.

“Estou de consciência tranquila. Há precisamente uma semana desafiei o Dr. Rui Rio, Presidente do PSD, para ouvir os militantes do PSD, dar voz aos militantes do PSD, marcando eleições diretas. Esse desafio como é sabido, não teve aceitação porque sabem que essa seria a verdadeira clarificação”, começou por dizer, prosseguindo: que o repto lançado acordou “um gigante adormecido” que é o PSD.

“A minha iniciativa teve um efeito inegável: acordou um gigante adormecido que é o Partido Social Democrata”, enfatizou Luís Montenegro em conferência de imprensa num hotel em Espinho, Aveiro.

Apesar de o antigo líder parlamentar do PSD assegurar que, depois de ter lançado o desafio das diretas a Rui Rio, “nada vai ficar como antes, nada vai ficar na mesma, o PSD vai concentrar-se, em primeiro lugar, na sua unidade interna”, Luís Montenegro revela que não vai interferir novamente com a direção do PSD.

“Estou de consciência tranquila, mas quero dizer com toda a honestidade e sem hipocrisias que as minhas divergências estratégicas não desapareceram de um momento para o outro. Foram apresentadas com lealdade, com frontalidade e com sentido de responsabilidade e foram apresentadas com o intuito de serem o contributo de ajudar à afirmação do PSD no quadro político português. A partir de agora não vou insistir nas minhas intervenções publicas, em expressar essas divergências e deixarei todo o espaço de afirmação política à direção do PSD”, afirmou.

Perante as perguntas dos jornalistas, o social-democrata admitiu que, apesar de Rui Rio não ter aceitado o desafio para as diretas, “a discussão foi positiva” e vai continuar ao lado do PSD.

“O PSD tem uma liderança com todas as condições para cumprir três desígnios que, para mim, são essenciais: ter um partido unido e coeso, ter uma oposição forte e eficiente e ter uma alternativa que seja percecionada pelos portugueses como mobilizadora de uma terceira vitória eleitoral nas eleições legislativas”, disse.

Montenegro aproveitou ainda para demonstrar, novamente, a sua “disponibilidade” e sublinhar que está ao “lado do PSD nos confrontos” das eleições e contra o atual Governo.

[NATACHA NUNES COSTA]

Deixe uma resposta