Comunidade

Lusitaníadas 2018

Entrevistámos os professores do Ensino de Português na Alemanha (EPE), Teresa Barreiros, Marla Andrade, Carlos Correia e a Coordenação do EPE, por ocasião das “Lusitaníadas 2018”, que decorreram no passado dia 26 de maio na cidade de Bremen.

1. Como e quando surgiu o projeto das Lusitaníadas?

Este projeto foi concebido no ano letivo de 2015/2016, pelo professor Carlos Correia, e posto em prática, desde então, pela equipa composta pelo professor em questão e pelas professoras Teresa Barreiros e Marla Andrade. Nasceu da ideia de unir toda a comunidade escolar dos cursos de língua e cultura portuguesas num evento de confraternização que reunisse uma vertente desportiva e uma vertente cultural numa primeira fase na região norte da Alemanha e, posteriormente, perspetivando o alargamento a outros estados alemães.

2. Qual é o objetivo das Lusitaníadas?

Os objetivos das Lusitaníadas são incentivar à frequência dos cursos EPE, ao empenho e ao estudo dos alunos; promover a língua e a cultura portuguesas e valorizar o trabalho em contexto de sala de aula ; promover a cidadania e o espírito de grupo, difundindo a arte e a cultura portuguesas; divulgar os cursos EPE junto das comunidades / localidades e aprofundar a relação de amizade e de cooperação entre alunos e professores das diferentes cidades participantes.

3. Qual a percentagem dos alunos que participa neste projeto?

É variável de curso para curso e de cidade para cidade, consoante o perfil da comunidade. De uma forma geral, tem-se registado uma média de 30 a 40% de participação, sendo que há sempre um número considerável de alunos que têm outras atividades já agendadas que condicionam a sua presença e participação.

4. Como é feita a seleção das atividades que se promovem neste dia?

Partindo do facto que este evento é constituído por duas componentes, uma desportiva e uma cultural, a seleção das atividades tem sido gerida pelos professores e pelos alunos. Naquilo que se refere ao evento desportivo, a aposta tem recaído no futebol de 5 com equipas mistas (modalidade da preferência dos alunos) e a seleção parte dos próprios jovens que se inscrevem de acordo com o seu escalão etário. No que concerne ao concurso de “Supertalentos”, a seleção é feita pelos professores que identificam os talentos e motivam esses alunos a participar. Em algumas áreas, tais como o teatro e a leitura, o trabalho prévio é da responsabilidade dos docentes que selecionam as peças de teatro e as outras tipologias textuais e ensaiam arduamente com os alunos participantes.

5. Este ano, quais são as atividades que são promovidas? Porquê estas atividades?

Todas as edições têm tido as mesmas atividades, apenas temos corrigido aspetos que poderão otimizar a qualidade do evento e a sua projeção junto das nossas comunidades. Continuamos a privilegiar o talento dos alunos, quer na leitura, quer no canto, quer no teatro para o qual os cursos EPE contribuem decisivamente. Não deixamos de valorizar outros talentos artísticos, tais como o desenho, a dança e a música. A opção por estas atividades justifica-se na medida em que são aquelas que vão presentemente mais ao encontro dos interesses dos nossos jovens.

6. Qual é o papel da embaixada de Portugal na dinamização deste dia?

A Embaixada de Portugal em Berlim apoia a atividade, assim como outras que fazem parte de um Plano Anual, dinamizado pela Coordenação de Ensino Português na Alemanha, destinadas a promover e a divulgar o ensino da Língua Portuguesa no país junto da Comunidade Portuguesa e de outras comunidades que pretendam aprender Português. No caso concreto das “Lusitaníadas”, Sexa Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, Dr. José Luís Carneiro, Embaixador de Portugal na Alemanha e o Cônsul-Geral de Hamburgo são presenças habituais. Todas as atividades, sejam elas realizadas em sala de aula ou em âmbitos mais alargados, como é o caso das Lusitaníadas, que envolve alunos, pais e encarregados de educação, comissões de pais e a Comunidade Portuguesa, inserem-se num Plano Estratégico delineado pela Embaixada de Portugal na Alemanha com o objetivo de reforçar o reconhecimento junto das autoridades alemãs do ensino do português, quer como Língua de Herança quer como Língua Estrangeira e, ao mesmo tempo, promover a integração do Português como disciplina de opção curricular nos planos de estudo alemães.

7. Qual é o papel do Instituto Camões na dinamização deste dia?

As “Lusitaníadas” fazem parte de um Plano Anual, aprovado e financiado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., que contempla todo um conjunto de atividades propostas pelos 35 professores do ensino básico e secundário (dos quais fazem parte os organizadores do evento) e pelos 11 docentes colocados em universidades alemãs, que integram a rede de Ensino Português na Alemanha. O Camões, I.P. também está representado no evento através de elementos da sua estrutura – professores, Docentes de Apoio Pedagógico e Coordenador de Ensino. No caso concreto da 3.ª edição das “Lusitaníadas” em Bremen, O Embaixador Luís Faro Ramos, Presidente do Camões I.P., também esteve presente no âmbito da sua primeira deslocação à Alemanha desde que iniciou funções em novembro de 2017.

8. Como consideram a adesão dos alunos a este projeto, e da comunidade portuguesa de um modo geral?

À medida que o projeto vai crescendo, temos registado uma maior adesão, quer do público presente, quer dos jovens participantes e suas famílias. Temos verificado que alguns concorrentes da primeira edição repetiram a sua participação nas edições seguintes, preparando-se cuidadosa e entusiasticamente com muita antecedência. A própria comunidade portuguesa tem revelado um interesse crescente pelo evento, em consequência do crescimento do projeto que se tem refletido no aumento de apoios e patrocínios dos mais diversos quadrantes, o que muito nos apraz e nos deixa otimistas em relação ao futuro deste evento como grande referência dos cursos EPE da Alemanha. Antevemos algumas surpresas para a próxima edição que não podemos, para já, revelar. Mas marcamos, desde já, encontro em Hamburgo em maio do próximo ano.

[redação CL]

Deixe uma resposta