Opinião

Karl Marx – Um Burguês socialista

Karl Marx fundou o comunismo moderno em 1849 com a publicação do Manifesto Comunista. No século XIX em que a burguesia se afirmava e as utopias até então não resultavam, procurou uma maneira de as tornar viáveis mediante a sua concretização numa revolução a partir de baixo, uma revolução popular.

Não contou com a capacidade de desenvolvimento do capitalismo nem com a economia social do mercado. Considerava a relação entre patrões e operários como mera exploração e via a propriedade como roubo.

Alguns dos seus modelos sociais e económicos falharam no socialismo real com as ditaduras comunistas que se serviam do terror, da repressão e do controlo total.
Não imaginava a possibilidade da evolução do capitalismo nem previa a possibilidade de um estado social nem tão-pouco a competição de um capitalismo que proporciona também aos operários bens que os reis de então não sonhariam; não imaginava que o Estado criaria autoridades (carteis) de controlo que impedem um pouco os monopólios.

A crítica de Karl Marx ao capitalismo tornou-se hoje actual nalguns pontos, apesar de ter falhado como sistema. O que Marx conseguiu prever foi o globalismo onde empresas como Google, Amazon e outras dominam o mercado.

A crise financeira e económica de 2007 e o globalismo tornaram o capitalismo liberal mais agressivo dando uma certa oportunidade a algumas ideias marxistas que se tornaram actuais: A concentração dos bens nas mãos de poucos dá-lhes poderes com caracter de monopólio. Um dos problemas de muitas multinacionais vem hoje do burocratismo em torno dos membros dos conselhos fiscais das empresas, onde também políticos e sindicalistas se aninham.

Karl Marx errou ao pensar o comunismo como modelo para o futuro. Permanece uma esperança para explorados e idealistas mal-informados. Como consequência dos erros marxistas temos hoje os partidos socialistas em grande crise nas sociedades onde o capitalismo de mercado, com a componente social, é eficiente.

Marx era um crítico da burguesia, mas procurava levar uma vida burguesa. Sobrevivia à custa do apoio económico do seu amigo Engels e da mulher, que numa das suas voltas na Alemanha para angariar dinheiro, foi traída por Marx, que fez um filho à criada. Sua esposa, uma pessoa nobre liberal entregou-se totalmente à causa de Marx. Vivia conforma a disponibilidade de dinheiro que ia tendo. Este comportamento de Marx parece continuar a ser a pauta de orientação dos actuais líderes socialistas nos diferentes Estados.

Como as leis do mercado são quem mandam, na sua cidade natal, Trier, Marx, tornou-se, num ímã do turismo.

O capitalismo, embora abusador, especialmente no turbo-capitalismo (capitalismo liberalista) revela grandes potencialidades de desenvolvimento e adaptação. Por isso, se for educado bem, é o sistema que terá melhores perspectivas de sustentabilidade, até porque corresponde aos instintos naturais do Homem.

[António da Cunha Duarte Justo]

Deixe uma resposta