Uncategorized

Plantel do Sporting revolta-se e aponta o dedo a Bruno de Carvalho

Jogadores do Sporting emitiram comunicado de forma a mostrar o seu “desagrado” com as declarações do presidente do clube, Bruno de Carvalho.

Depois das declarações do presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, os jogadores do clube de Alvalade uniram-se e reagiram através das redes sociais com um longo texto partilhado por todos, nomeadamente os capitães de equipa Rui Patrício e William Carvalho.

No texto em causa, o plantel mostra a sua revolta e indignação perante a ausência de apoio do presidente do emblema verde e branco.

Recorde-se que o líder leonino deixou várias críticas a alguns jogadores após o encontro da 1.ª mão dos quartos-de-final da Liga Europa frente ao Atlético de Madrid, na capital espanhola, no qual o Sporting foi derrotado por 0-2.

“Somos Sporting Clube de Portugal, em nome do plantel, somos a informar o seguinte… Suamos, lutamos e honramos sempre a camisola que vestimos. Não somos perfeitos e não acreditamos em jogadores perfeitos, porque queremos sempre evoluir”, começam por escrever.

“Quando vencemos, empatamos ou perdemos… sim… porque no Futebol estes são os resultados possíveis, a responsabilidade é sempre de todos! Somos uma equipa! Somos um grupo unido de um Grande Clube onde o respeito é uma das bases necessárias a essa união. Não podemos pensar apenas no “Eu”, mas sim “Nós” e sempre na equipa, porque só assim poderemos vencer”, adiantam ainda, antes de se referirem ao líder Bruno de Carvalho.

“Em nome de todo o plantel do SCP, espelhamos neste texto o nosso desagrado, por vir a público as declarações do nosso Presidente, após o jogo de ontem, no qual obtivemos um resultado que não queríamos… a ausência de apoio, neste momento…, daquele que deveria ser o nosso líder. Apontar o dedo para culpabilizar o desempenho dos atletas publicamente, quando a união de um grupo se rege pelo esforço conjunto, seja qual for a situação que estejamos a passar, todos os assuntos resolvem-se dentro do grupo”.

Fique com o texto na íntegra:

Deixe uma resposta