Desporto

Páscoa ‘descansada’ com liderança em tons de encarnado

O Benfica venceu o Vitória de Guimarães, por 2-0, e passa a Páscoa na liderança.

O ‘ovo da Páscoa’ chegou em forma de ‘liderança’ ao Estádio da Luz. O Benfica recebeu o Vitória de Guimarães e, sem grandes dificuldades e com a ajuda preciosa de Jonas, carimbou um triunfo por 2-0, que lhe garante a liderança provisória no campeonato nacional, pelo menos, até segunda-feira, quando o FC Porto encerra a 28.ª jornada, com uma deslocação ao terreno do Belenenses.

Os vimaranenses levaram o ‘guião’ certo e até deram luta, mas dois tiros de Jonas – que somou 33 golos na liga portuguesa, este temporada – resolveram o duelo para o lado os encarnados.

O sonho de ‘adormecer’ na liderança funcionou como um ‘antídoto’ para a estratégia montada por Peseiro. Inicialmente, a equipa da Luz mostrou algumas dificuldades em ‘desmontar’ o adversário mas, gradualmente, encontrou a solução para ‘assaltar’ o primeiro lugar.

Organização, inteligência e estratégia

O Vitória de Guimarães entrou bem na Luz, sem pressão, a conseguir pôr em prática lição dada por José Peseiro, durante a semana. Com pouco trabalho para Miguel Silva, Bruno Varela foi o guarda-redes a ter mais trabalho, na primeira parte, principalmente com Raphinha, que ainda festejou um golo, aos 23 minutos, que acabou invalidado por fora-de-jogo.

No entanto, os visitantes não desmoralizaram e continuaram a mostrar ‘serviço’, perante um Benfica que sentia muitas dificuldades em ‘quebrar’ a muralha organizada dos vimaranenses. Aliás, o ‘sopro’ que destruiu o ‘castelo de cartas’ aconteceu mesmo em cima do intervalo, quando João Aurélio teve a infelicidade de levar o braço à bola e uma grande penalidade, convertida por Jonas (44′), virou o sentido do jogo.

Eficácia, oportunidade e qualidade

A vencer por 1-0, a segunda parte contou uma história completamente diferente. Uma equipa encarnada a conseguir mostrar o seu jogo, com um Vitória de Guimarães a ‘correr atrás’.

A partir daqui, o segundo golo era, apenas, uma questão de tempo. Miguel Silva, que até tinha tido pouco trabalho na primeira metade, fruto da organização defensiva dos vimaranenses, começou a ser chamado a intervir. Primeiro evitou um tento praticamente feito de Zivkovic (50′) e depois de Grimaldo (58′).

Mas Miguel Silva não chegou para tudo e, aos 77 minutos, Jonas atirou para o 2-0, com um toque ‘delicioso’ de Raul Jiménez, na assistência, que levou as bancadas do Estádio da Luz à ‘loucura’, em fim-de-semana de Páscoa.

[ANDREIA BRITES DIAS]

Deixe uma resposta