Política

Costa destaca “consenso nacional” nas posições defendidas em Bruxelas

O primeiro-ministro, António Costa, disse hoje que há um “consenso transversal” nos partidos na defesa das políticas de coesão e agrícola comum (PAC), comentando o apoio de Rui Rio às posições defendidas pelo Governo em Bruxelas.

“Não é a linha do Governo, é a linha da política portuguesa e que tem um consenso transversal a todas as forças políticas” de defender os fundos de coesão e a PAC como “marcas identitárias”, disse Costa, em declarações aos jornalistas à entrada da reunião do Conselho Europeu, em Bruxelas.

“É uma posição tradicional de Portugal e vejo com agrado que não seja um fator de divisão, mas que saibamos, como é timbre de Portugal, unirmo-nos quando estão em causa os interesses nacionais”, afirmou.

Hoje, em entrevista à agência Lusa antes de participar pela primeira vez numa reunião do Partido Popular Europeu (PPE) desde a sua eleição para a liderança do PSD, Rui Rio apontou que, em dossiês europeus, “aquilo que para Portugal é mais relevante é a questão do orçamento comunitário” e a ameaça de cortes nos fundos estruturais em função da saída do Reino Unido.

Apontando que, à luz do Brexit, “o orçamento comunitário tem uma quebra à volta dos 12 mil milhões de euros, e pode haver a tendência de esses 12 mil milhões de euros, ou grande parte deles, serem retirados à política de coesão”, o presidente do PSD sublinhou que tal seria extremamente prejudicial para os países da coesão, como Portugal, e garantiu que o seu partido está ao lado do Governo de António Costa para defender os interesses do país.

Rio disse concordar com as ideias que o primeiro-ministro tem defendido em Bruxelas no sentido de aumentar as receitas do orçamento comunitário “para cobrir as que saem por força da saída do Reino Unido”, e, se necessário for, através de uma combinação de aumento das contribuições e de taxas europeias, desde que não incidam sobre os cidadãos portugueses, até porque essa é uma matéria de soberania nacional.

[Lusa]

Deixe uma resposta