Mundo

Londres quer levar à justiça responsáveis pelo ataque a ex-espião russo

A ministra do Interior britânica, Amber Rudd, garantiu hoje que Londres tudo fará para que os responsáveis pela tentativa de homicídio contra o ex-espião russo Serguei Skripal e a filha, Yulia, “sejam levados à justiça”.

“Estamos empenhados em garantir que tudo seja feito para que os responsáveis sejam levados à justiça, quem quer que sejam e onde quer que estejam”, disse Amber Rudd, diante dos deputados britânicos.

“Este governo irá agir sem hesitação quando os factos forem estabelecidos”, acrescentou a ministra, assegurando: “Responderemos com firmeza e de forma apropriada uma vez que tenhamos determinado quem é responsável”.

Serguei Skripa, de 66 anos, e a filha Yulia, de 33 anos, foram encontrados inconscientes no domingo, num banco num centro comercial em Salisbury, no sul de Inglaterra.

Na quarta-feira, o chefe da polícia anti-terrorista britânica, Mark Rowley, revelou que o ex-agente duplo russo e a sua filha tinham sido vítimas de um ataque deliberado com um agente que ataca o sistema nervoso.

Os dois encontram-se ainda hospitalizados, “inconscientes”, em estado “crítico, mas estável”, segundo informou hoje a ministra do Interior britânica.

“O uso de um agente que ataca o sistema nervoso em solo britânico é um ato de má fé e ilegal”, prosseguiu Amber Rudd, na intervenção diante dos deputados britânicos.

“As pessoas têm razão ao quererem saber quem é o responsável. Mas se quisermos ser rigorosos nesta investigação, precisamos de evitar especulações e permitir que a polícia continue com a sua investigação”, frisou.

“Centenas de polícias” estão a analisar “todas as pistas possíveis”, precisou ainda a ministra.

Um polícia, um dos primeiros a chegar ao local para socorrer o ex-espião russo e a sua filha, está igualmente hospitalizado.

O elemento das forças policiais, segundo Amber Rudd, está em estado “grave, mas estável”.

“Ele está consciente, ele fala”, acrescentou.

[Lusa]

Deixe uma resposta